ISMA 14 conferência: Não-funcional Requirements em SISP

ISMA 14 conferência: Não-funcional Requirements em SISP

Eduardo Alves de Oliveira (SERPRO Federal de Processamento de Dados Serviço do Ministério da Fazenda do Brasil)

 

  • Visão de SISP (versão 2.2)
  • SISP em Contratos de Desenvolvimento de Software
  • Como SISP conta requisitos não-funcionais
  • limitações SISP contar requisitos não-funcionais
  • contando Exemplos.

Durante alguns anos, o governo brasileiro adotou o pagamento de seus projetos de software usando ponto de função. Muitos ajustes nos contratos de desenvolvimento de software foram necessárias para contar quantos pontos de função estavam usando para pagar contratos. Ele'não é possível usar uma métrica funcional sem ajustes para pagar contratos de desenvolvimento de software.

tamanho funcional é o tamanho do escopo project's e Indiferente o esforço project's para entregar o produto de software. O governo federal brasileiro criou um manual para o tamanho do esforço do projeto. Este manual utiliza o tamanho funcional para derivar o esforço do projeto usando fórmulas. Este manual define vários tipos de projetos de manutenção imprevistas no CPM. Seu nome é SISP (Sistema de Gestão de Informação de Recursos Tecnologia) ea versão atual é 2.2.

SISP é só sei que no Brasil (não é uma norma ISO). SISP conta requisitos não-funcionais em projetos de manutenção de software através de tipos de contagem. No entanto, o SISP tem limitações para contar requisitos não-funcionais. Às vezes é necessário incorporar particularidades nos contratos para lidar com suas limitações.

Sobre o alto-falante:

Eduardo Alves de Oliveira tem um mestrado em IME (Instituto Militar de Engenharia). Licenciatura em Ciência da Computação pela UFRJ, pós-graduação em UFRG e NCE-UFRJ. experiência profissional de mais de 18 anos em tecnologia da informação. CFPS desde 2004. CSP desde 2013. Analista de Sistemas e instrutor SERPRO (Federal Service Data Processing do Ministério da Fazenda do Brasil). Consultor em métricas de software e qualidade. Instrutor em cursos de pós-graduação no CCE (Cursos de Extensão centrais) pela PUC-Rio Universidade (Disciplinas Métricas projetos de software e software de qualidade). Foi selecionado para ser um orador em: Conferência de Outono Nesma 2015 (Utrecht, Holanda), A Conferência Internacional Tenth de Engenharia de Software Avanços – ICSE 2015 (Barcelona, Espanha), Nesma IWSM MENSURA 2014 (Rotterdam, Holanda), WORLDCOMP'13 – SERP'13 – o 2013 Conferência Internacional de Engenharia de Software Research and Practice (Las Vegas, EUA), ISMA 7 (Fénix, EUA – 2012), instrutor e palestrante em ISMA 5 (São Paulo, Brasil – 2010), orador e membro da mesa redonda 2 CBMAS (Congresso Brasileiro de Medição e Análise) (São Paulo, Brasil – 2011) e palestrante em Metrics Conferência 2012 (São Paulo, Brasil). Um dos autores do livro “O Guia IFPUG para TI e Medição de Software” publicada por IFPUG em 2012.